Óleo no Nordeste: satélite mostra mancha escura antes de passagem do Bouboulina

Análise de cientistas da Ufal pode apontar novos suspeitos

Navio Bouboulina foi apontado como culpado de causar manchas de óleo na costa brasileira

(Foto: C.Plague Fleetmon/Divulgação)

Uma mancha escura de aproximadamente 85 km foi identificada pelo Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), momentos antes da passagem do petroleiro grego Bouboulina, apontado pelo governo brasileiro como o responsável pelo derramamento de óleo que invade as praias nordestinas desde setembro.

De acordo com o jornal O Globo, o rastro escuro foi apontado pelo cientista Humberto Batista, no entanto, aparece antes de o navio grego passar pela rota, 40 km ao norte de São Miguel do Gostoso (RN). A descoberta levou o pesquisador a buscar um outro suspeito para o derramamento de óleo no Nordeste.

Desde setembro, quando as manchas começaram a aparecer mais ao norte, o grupo do Lapis está vasculhando bancos de dados de sensoriamento remoto atrás de sinais do derramamento.

Segundo Batista, a imagem já estava em suas mãos há duas semanas, mas o grupo não quis divulgá-la antes com receio de induzir a conclusões precipitadas.

Após a investigação da empresa HEX apontar o Bouboulina como principal suspeito, porém, o cientista decidiu verificar o registro de transponder do sinal do navio grego pela região, e notou que ele não se encaixava na imagem de satélite que havia garimpado.

A Delta Tankers afirma que o Brasil investiga outras quatro embarcações da empresa pelo vazamento. No dia 6 de novembro, em nota divulgada pela TV Globo, a Marinha negou essa informação.

A imagem em questão foi feita por um sensor do satélite europeu Sentinel-1A. O dispositivo enxerga variações sutis de altitude, como as próprias ondas do mar, e propriedades elétricas dos líquidos, que distinguem, por exemplo, água salgada de óleo.

A mancha apareceu parcialmente numa imagem de 24 de julho, mas o Bouboulina só passou naquela área dois dias depois.

Fonte: Correio 24horas /com informações de O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui